Pular para conteudo principal

Notícias

ALPB debate desenvolvimento sustentável no semiárido paraibano

Publicado em 18 de setembro de 2019 às 19:01

WhatsApp Image 2019-09-18 at 6.01.42 PMA Frente Parlamentar de Ciência, Tecnologia e Informação da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou audiência pública, nesta quarta-feira (19), no Campus do IFPB do município de Picuí, para debater sustentabilidade e desenvolvimento sustentável na região do semiárido. O encontro aconteceu juntamente com a Feira de Ciências da instituição. Políticos, professores, estudantes e autoridades participaram da discussão.

O presidente da Frente Parlamentar, o deputado Buba Germano (PSB), ressaltou a importância do Poder Legislativo ouvir as demandas da população presente na audiência. Ele destacou que a solenidade teve um caráter especial, pois foi comemorado 10 anos do Campus do IFPB de Picuí. “Aqui também está acontecendo a 6ª Feira de Ciência e Tecnologia, que apresentou um trabalho fantástico explorando a criatividade dos estudantes, o potencial em várias áreas, como robótica, preservação ambiental, clima, entre outros. São trabalhos excepcionais”, disse o parlamentar.

WhatsApp Image 2019-09-18 at 6.01.43 PMBuba Germano explicou ainda que a Frente Parlamentar se fez presente no evento para dialogar com os estudantes e professores sobre a importância do Campus para a região. “Aqui nós debatemos muito sobre a sustentabilidade. Vamos levar as demandas para a Assembleia Legislativa, pois sei o que representa a presença da universidade em Picuí”, comentou o deputado.

O vice-diretor do IFPB, Anderson Souza, analisou a situação da instituição diante da crise em que atualmente o setor de Educação, no país tem vivido. “A gente precisa se apropriar da problemática e inserir a perspectiva de desenvolvimento do Campus para os próximos anos, diante da crise que estamos apresentando”, disse. O diretor de pesquisa do IFPB, Francisco Dantas, agradeceu aos representantes da Frente Parlamentar. “A oportunidade de dialogar foi muito rica, pois tivemos o privilégio de escutar as demandas da comunidade e saber o que elas sentem e necessitam. Foi um debate positivo para a região”, afirmou.