Pular para conteudo principal

Notícias

Assembleia Legislativa debate políticas de Economia Solidária na Paraíba

Publicado em 20 de setembro de 2017 às 17:12

20-09 - Audiência discute des. economico - ©2017 nyll pereira - 001A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta quarta-feira (20), através da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, uma Audiência Pública para discutir questões relacionadas ao desenvolvimento de uma Política Estadual de Economia Solidária no Estado da Paraíba.

De acordo com o deputado estadual Renato Gadelha, autor da propositura, é necessário criar leis concernentes a esse tipo de atividade para melhorar o desempenho de políticas públicas voltadas ao tema. “A economia solidária é baseada na associação de produtores com um fim comum, que é a comercialização e a produção. Então, aqui no Nordeste, este é o caminho natural, uma vez que não temos grandes extensões de terra na mão de poucos proprietários”, afirmou.

Ainda de acordo com o parlamentar, o estímulo à agricultura familiar nos municípios paraibanos fortaleceria a produção de algodão no estado. “O algodão com a chegada do bicudo-do-algodoeiro ficou, praticamente, impossível de se cultivar. Mas, em pequenas áreas onde a família cuida do algodoeiro como quem cuida do seu filho, nós podemos combater o besouro e resolver esse problema”, ressaltou.

20-09 - Audiência discute des. economico - ©2017 nyll pereira - 005Já a deputada estadual Estela Bezerra saudou a iniciativa da propositura do deputado Renato Gadelha e destacou os avanços da Economia Solidária na noção de sustentabilidade e justiça. “O sistema solidário de cooperativismo não permite a exploração sobre outrem e busca eliminar os vícios de uma cadeia produtiva com base não só no combate à exploração, mas no lucro sobre o valor do trabalho e o valor do produto”, pontuou.

O superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado da Paraíba (OCB-PB), Pedro José Albuquerque Almeida, enfatizou apoios que podem auxiliar as atividades de cooperação na Paraíba. “Nos trabalhos coletivos, os resultados são bem mais fáceis de alcançar do que nos trabalhados realizados individualmente. Portanto, o que causa preocupação é a sustentabilidade dos empreendimentos, sejam coletivos ou individuais, porque a gente precisa que haja viabilidade econômica naquilo que eles estão produzindo e desenvolvendo para poder se manterem e melhorarem a qualidade de vida”, concluiu.

Também participaram da Audiência Pública o deputado estadual Janduhy Carneiro; a secretária executiva de Segurança Alimentar e Economia Solidária da Paraíba (Sesaes), Ana Paula Almeida; o coordenador da Incubadora de Empreendimentos de Economia Solidária da Universidade Federal da Paraíba (Incubes-UFPB), professor Vanderson Carneiro; o presidente da União das Cooperativas Solidárias do Brasil (Unisol-Brasil), Leonardo Pinho; o chefe do Núcleo de Economia Solidária da Superintendência Regional do Trabalho da Paraíba, Antonio Grilo, e a representante do Fórum Estadual de Economia Solidária, Adriana Elisabete, além de demais líderes e representantes de movimentos vinculados à Economia Solidária na Paraíba.