Com projeto de metodologias ativas na educação política, Escola do Legislativo da Paraíba vence ‘Prêmio ABEL 2017’

Um ambiente tranquilo e favorável onde o professor é apenas mediador e os estudantes se tornam o centro do processo de ensino e aprendizagem. Este é o cenário implantado na Escola do Legislativo da Paraíba – ELEGIS – PB que em 2018, comemora seus 15 anos de criação e para fortalecer sua marca desenvolveu um projeto didático pedagógico de Comunicação Política e Legislativa amparado pelas metodologias ativas.

A proposta trazida pelo curso e apresentada aos estudantes que na sua grande maioria eram servidores da Assembleia Legislativa da Paraíba, assessores, jornalistas, publicitários, advogados e agentes políticos, tinha como objetivo unir a prática pedagógica com as experiências do cotidiano e promovendo assim, uma construção dialógica do saber reconfigurando o método de ensino e aprendizagem na ELEGIS-PB.

O protagonismo dos estudantes alinhado às metodologias implantadas pelo professor Rodolpho Raphael, fizeram com que a instituição concorresse com o projeto “Metodologias ativas como reconfiguração da educação legislativa: A experiência do curso de comunicação política na ELEGIS-PB’ o que conquistou a III edição do ‘Prêmio ABEL’ da Associação Brasileira de Escolas do Legislativo e de Contas na categoria ‘Educação Legislativa’.  A premiação aconteceu em Goiânia – GO na manhã desta sexta-feira, (10), durante o XXX Encontro da Associação que fecha as atividades da entidade para este ano.

Para a diretora da ELEGIS-PB, Maria Helena Toscano, receber pela primeira vez o Prêmio ABEL, é o princípio de um reconhecimento nacional para com um trabalho que exige muito esforço, amor e dedicação. “Estou muito emocionada pelo fato deste prêmio ter um significado muito especial para mim, afinal, são quase 15 anos voltados à educação legislativa e a capacitação profissional do servidor. Muitas coisas aconteceram, muitas dificuldades foram enfrentadas e essa premiação veio coroar um trabalho que toda equipe tem desenvolvido”, ponderou.

Maria Helena destacou ainda o apoio do presidente Gervásio Maia para execução do trabalho da escola. “Saber que a gente trabalha para uma instituição onde os dirigentes se importam em oferecer qualificação aos seus funcionários é gratificante. Só tenho a agradecer ao presidente Gervásio Maia”, disse.

Para o professor Rodolpho Raphael, a inserção das novas práticas pedagógicas que serviram de projeto piloto para a ELEGIS-PB e agora para outras instituições legislativas, foi um dos maiores desafios numa sala de aula composta por alunos com formações diferenciadas.  “Aproveitamos a situação e a enxergamos como oportunidade, e esta construção dialógica entre áreas diferentes tornou-se o fator preponderante para construção deste curso, não apenas como reconfiguração do método de ensino e aprendizagem, mas, como o legado deixado na vida dos estudantes e na promoção da excelência do serviço público que dá vida e torna-se cerne das Escolas do Legislativo”, explicou.

O professor falou ainda que o modelo adotado teve como centralidade do processo, a promoção da autonomia ao estudante, fazendo com que, ele pudesse trilhar e guiar o seu caminho rumo à aprendizagem que ele desejasse, seja na perspectiva teórica, prática e/ou discursiva possibilitando a compreensão dos conceitos de comunicação política, comunicação eleitoral e legislativa.

 

Comunicação Política como fonte de cidadania

No cenário político brasileiro, em especial no Estado da Paraíba, a utilização da comunicação política também tem crescido significativamente nas últimas décadas em virtude da sua aplicação no campo legislativo.

A realização deste curso pela ELEGIS PB, que teve início no mês de agosto e faz parte de um mix de três cursos que serão oferecidos pela instituição, promoveu uma associação entre a comunicação política e o marketing levando assim, capacitação aos estudantes e fomentando a multiplicidade de informações para com o cidadão em suas diversas multiplataformas tentando orientar e direcionar as ideias relacionadas à democracia e cidadania.

Ao final do curso, em forma de jogo, os alunos foram desafiados a construir um plano de comunicação elaborado através de forma contínua e desenvolvida em subgrupos. Estes por sua vez, deveriam assumir a assessoria de comunicação para um político ou agente público que resultou em um plano de ações que deveria ser apresentado na culminância do projeto denominado “Seminários Legislativos”.

“Tal método foi aprovado pelos estudantes e foi um fator decisivo para evitar a evasão em grande demanda, problema muito conhecido nas inúmeras escolas do legislativo espalhadas pelo país. Ao mesmo tempo, possibilitou que estes estudantes, ao desenvolverem seus trabalhos finais, pudessem em seus locais de trabalho e na sua profissão, utilizar as técnicas e ferramentas apresentadas durante o processo de reconfiguração do ensino e ressignificação da sala de aula, onde o conhecimento, o debate, a curiosidade, o questionamento, a dúvida, a proposição e a assunção de posição resultam, sem dúvida, em protagonismo e em desenvolvimento da autonomia tendo como reflexo, uma progressão na busca pela excelência do serviço público”, Avaliou o professor.

 

O Prêmio ABEL 2017

O Prêmio ABEL que está em sua terceira edição, é concedido no Encontro anual da ABEL, e visa incentivar a inovação, dar visibilidade e reconhecer publicamente as ações que mais se destacam entre as Escolas do Legislativo e de Contas no Brasil. Este ano, o prêmio trouxe três modalidades, Educação Legislativa (formação e qualificação de agentes públicos); Portal (plataforma institucional online de dados e informações públicas); Comunidade (projetos educacionais voltados ao público externo)